Aqui você poderá encontrar muito de mim e espero com isso revelar o que ainda não sabe sobre você. Calma, aqui não será um espaço esotérico. Mas, acredito que no contato com o outro/a descobrimos quem verdadeiramente somos. Sinta-se a vontade em viajar comigo nesses escritos e saiba que o conhecimento é um processo, é uma construção, em que todos/as nós fazemos parte das diversas etapas de sua edificação. Participe desta aventura, venha pescar comigo nesse grande mar que é a vida, onde costuraremos histórias e reflexões acerca dos nossos sentimentos, pensamentos e das coisas da vida, as coisas do dia-a-dia que nos rodeiam.

Seguidores

Postagem em destaque

Eu sempre estive perto de você

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Homem não chora?

(Pensei muito qual título daria para essa costura, foram muitas as possibilidades, entre elas estavam ''um manifesto masculino", "homens também amam", "somos homens não somos monstros", "o sexo frágil", "homens também choram" e achei que esse me agradou mais, pois lembrei de uma fala de uma amiga, essa semana, quando eu lhe disse que estava chorando, ela disse: "deixa eu adivinhar, é mulher, só pode ser, você é todo assim com essas coisas do coração!". Enfim, devo alertar que a costura é um pouco longa, mas é sincera.)

Por que os homens fazem sexo e as mulheres fazem amor? Essa pergunta já assombra a mente humana de homens e mulheres, não por se achar que uma coisa seja melhor que a outra. Ou que uma seja mais importante que a outra. Pelo menos não é assim que eu vejo. Sei que tal pergunta já mereceu até um livro, que até hoje, não li, mas conheço muitas pessoas que já leram e dizem que é muito bom, engraçado, que diz muita coisa que acontece mesmo e tal. Mas, me pergunto, quando é que essa pergunta de fato importa? Pois, se chegamos, em nossa relação, ao ponto a abrir a boca para nos perguntarmos isso ou, para piorar, fazermos tal pergunta para nossos cúmplices, acredito que estamos prestes a ver o começo do fim do que um dia fora um sonho e que mesmo diante das mais variadas respostas, nenhuma delas restaurará uma relação que com toda certeza já está mais que fragilizada e que já não nos deixa felizes.

Quantas vezes já escutamos: todos os homens não prestam; as mulheres só pensam em dinheiro; os homens só pensam em sexo; as mulheres são histéricas; os homens são insensíveis; os homens são grossos; as mulheres são ciumentas demais. Mas, quando é que vemos uma mulher ou um homem falando mal um do outro? Estamos cansados de saber que homens e mulheres são diferentes e é apenas isso, nada de um ser melhor que o outro, ambos dispõe de habilidades, dons, especificidades, defeitos e qualidades que podem ou não agradar seus parceiros e parceiras, e que só saberemos se agradarão somente após convivermos.

Se você já se pegou fazendo isso ou presenciou alguém deve saber que algo aconteceu. E a melhor coisa a se fazer é pensar bem sobre o que dizer, se é que devemos dizer alguma coisa. Só acredito que não podemos colocar todo mundo no mesmo saco, não podemos generalizar. Afinal, aquela pessoa já foi para nós a melhor pessoa do mundo e até seus “defeitos” já nos fizeram rir um dia, mas, hoje, pela rotina, conhecimento e outros elementos únicos daquela relação única, pois, só somos o que somos na relação que estabelecemos, não suportamos mais. Mas, não é por isso que devemos sair por aí gritando aos quatro ventos que os homens ou mulheres não prestam e muito menos dizer que nunca mais vamos nos envolver em outro relacionamento ou dizer que amor não existe.

Somos contraditórios e em nossas relações isso não será diferente. Imagine! Se de fato nos incomodam essas coisas tidas como típicas do homem ou da mulher, o que explica as piadas que costumamos ouvir quando um homem é sensível demais ou uma mulher é durona? O que explica fazemos piadas com aquilo que sempre desejamos que nosso parceiro/a tenha e que por não ter nos leva a rever nossa relação ou nos faz não vê-lo/a mais como o homem ou a mulher de nossa vida.

Talvez seja nossa busca por nós mesmos e quando nos deparamos conosco não damos conta do que vemos e depositamos no outro tudo aquilo que não suportamos em nós, é muito mais fácil isso do que admitirmos que nós não somos como achamos que somos. A convivência com o outro desperta em nós o nosso verdadeiro eu e o outro que é causa da evidência do que somos, se torna, nesse momento, algo repulsivo e que é melhor ver longe. Mas, essa busca incessante por nós mesmos e que não queremos encontrar é conversa para outra costura, vamos continuar nos problemas que envolvem nossas relações afetivas.

Não venham com essa história de que homens só querem ou só pensam em sexo, que superioridade é essa? Que posse é essa das mulheres sobre o amor? Os homens também amam. E sabe essa história de que homens fazem sexo e mulheres fazem amor? Sem essa, todos fazemos sexo, homens e mulheres fazem sexo, e não adianta dizermos que fazemos amor quando na verdade nós fazemos sexo, nós trepamos, temos relações sexuais, pois, amor não se faz, amor se vive. Então não tememos em dizer que fazemos sexo e que isso nos dá prazer, que isso nos faz bem.

Outra coisa que precisa ser dito é que homens também vão para a cama porque gostam da mulher com quem estão, ir para a cama não é apenas sinônimo de alívio de tensão, mas é desejo por quem está conosco, nos faz bem e amamos. Mais uma coisa, é bom fazer sexo e depois dormir, tanto para o homem, quanto para a mulher, temos tanto tempo para conversarmos, então vamos aproveitar o momento e dormirmos bem juntinhos aproveitando este belo momento de entrega. E as preliminares? É algo maravilhoso. Mas, fazer o quê? Se existe quem não goste! No mínimo devemos procurar mais um pouco, pois, tenho absoluta certeza que vamos encontrar.

Não são todos os homens que buscam várias mulheres, existem homens que amarão uma única mulher, para quem farão eternas juras de amor, poemas e desejarão que ela nunca o deixe. É, nós assumimos que somos deixados, que choramos quando terminamos. Isso mesmo, os homens também choram, ficamos mal e sem essa de que somos o sexo forte, também somos frágeis, e, se ser sensível é “coisa de mulher”, existem mais homens femininos do que você pode imaginar, .

Isso tudo não é para me retratar ou é um pedido de desculpas, por algo que eu tenha cometido, mas estou cansado de ser jogado no mesmo balaio de todos os homens, cada ser é único e não podemos dizer que todo homem é igual, pois eu não sou, nem por isso sou melhor. Fui muitas vezes machucado nos relacionamentos que me envolvi, e diga-se que entro de corpo e alma em cada relação, e não foi por isso que julguei ou desistir de viver ao lado de um novo amor. Não deixemos que uma desilusão amorosa tire nosso belo olhar para a vida ou percamos as esperanças de vivermos felizes ao lado de outro alguém que nos tire o fôlego.

Sempre é possível sonharmos com tudo isso e acreditar no amor, independente da dor ou decepção que tenhamos sofrido. É certo que muitas vezes os homens não têm coragem de dizer o que sentem, mas muitas vezes dizemos, talvez, ainda temos dificuldades em saber como lidar com esses sentimentos, mas, dizemos muito, ao nosso jeito, sem domínio, sem saber como dizer que amamos ou como demonstrar o que sentimos, afinal, são séculos de dureza, de uma vida na qual “homem não chora”, “homem é sexo forte e não é sensível”, contudo, não podemos usar isso para permanecer na mesma: sem amor, sentimentos, sem sensibilidade. Sempre fomos tidos como os mais fortes, corajosos, mas não somos, temos medo, somos bem frágeis e quando ninguém está vendo, também choramos.

E se me permitem, quero pedir que nunca mais digam que os homens só pensam em sexo, pois, pode ser que tenha mesmo quem só veja isso, mas, já temos muitos que vêem além disso. Nós, também, acreditamos no amor e amamos com muita intensidade.

Acho que fui prolixo, mas, eu precisava dizer essas coisas, só espero não ter agredido ninguém ou não ter sido explícito no que eu quis dizer.
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...