Aqui você poderá encontrar muito de mim e espero com isso revelar o que ainda não sabe sobre você. Calma, aqui não será um espaço esotérico. Mas, acredito que no contato com o outro/a descobrimos quem verdadeiramente somos. Sinta-se a vontade em viajar comigo nesses escritos e saiba que o conhecimento é um processo, é uma construção, em que todos/as nós fazemos parte das diversas etapas de sua edificação. Participe desta aventura, venha pescar comigo nesse grande mar que é a vida, onde costuraremos histórias e reflexões acerca dos nossos sentimentos, pensamentos e das coisas da vida, as coisas do dia-a-dia que nos rodeiam.

Seguidores

Postagem em destaque

Eu sempre estive perto de você

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Gritos silenciados, mas evidentes.

Com muitos gritos chamamos porque precisamos de gente unida e comprometida.

Queremos revelar algo que se tornou segredo, que era sabido por todos, mas foi esquecido. É algo muito precioso e sabemos onde está.

Não nos envergonhamos de gritar, não nos envergonhamos de pedir ajuda, pois sabemos que só a união de forças será capaz de transformar o mundo. E que juntos podemos sempre mais. Outro mundo melhor deve ser para todos, e nosso segredo deve correr o mundo.

Venha como vier, com tuas dores, com teu desânimo, com teu peito machucado e teu cansaço de tanto tentar e nada conseguir. Venha que temos muita garra para contagiar, muita força para partilhar, ternura e esperança. Venha que saberemos despertar o que escondes no peito, a esperança de criança, pura e teimosa, simples e ousada.

Vamos precisar estar dispostos para enfrentar os perigos que se escondem nas esquinas e nos impedem de ver adiante. Vamos precisar estar atentos para ouvir o que há tempos não conseguimos mais. Vamos precisar de astúcia para distinguir os sons errantes que tentam nos enganar. Não nos dispersemos, vamos precisar estarmos juntos, com o sorriso no rosto, vamos caminhar de mãos dadas.

Não esqueçam o colorido, não esqueçam o sorriso. Busquemos nas águas das chuvas o vigor, no arco-íris a cor e no coração a vontade de fazer a diferença. Nós vamos estar com nossos variados estilos, que caracteriza nossa diversidade. Venham como vier, vamos ampliar nosso jeito de ser. Vamos ser uma corrente viva e colorida, com muitas caras e muitos jeitos e um só desejo: revelar o segredo.

Nada de pressa, vamos com calma. É certo que o segredo que queremos revelar já não pode tanto esperar. Mas, vamos com cautela, sem o risco de revelá-lo sem a forma que ele mereça. Por isso, vamos pelo caminho longo, sem enveredar pelos atalhos que muitas vezes são traiçoeiros. Sem desânimo vamos caminhando sempre em frente. No caminho vamos pensar no que já vivemos e o que queremos viver. Vamos planejando o que faremos quando chegarmos. Mas, uma coisa é certa: vamos revelar o segredo ao mundo.

Vamos revelar a todos, a todos que ficaram, a todos que não quiseram descobrir, a todos que escondem suas esperanças no baú interior, que acham que utopia de nada vale, que o sonho acabou e já não sonham mais e por isso, nem vivem. Vamos revelar a todos. Com quem prefere deixar como está. Com quem prefere ver as notícias na TV como se tudo fosse um programa de auditório e que basta desligar o botão para que tudo acabe. Quando tiverem acesso ao segredo, não vão se contentar em ficar sentados na poltrona esperando que o programa seguinte entre no ar. Irão se juntar a quem ainda tem coragem de sonhar.

Vamos revelar a todo mundo, até para quem não quis vir por medo de ouvir, pois, no fundo sabia que não resistiria. Para quem ridicularizou nossa aventura, e teve vergonha de vir conosco. Para quem nos seguiu escondido com vergonha de ter voltado atrás na sua decisão de não vir. E principalmente, para aqueles e aquelas que por medo do poder desse segredo, sempre forjou meios de nos impedir de revelá-lo. Vamos revelar até para quem não tem certeza de sua existência. Vamos gerar uma nova ordem mundial, onde os gritos silenciados chegarão ao conhecimento de todos, e ninguém deixará de escutar os desejos que há muito foi calado e esquecido. Ninguém os ouvia, mas eles sempre existiram.

E isso tudo é apenas parte do segredo. Houve um tempo, que todos sabiam disso. E o capital e sua ideologia diabólica que nos divide, inventou sons que abafaram os tantos gritos: os gritos de tantos lutadores e lutadoras do povo que se envergonham de uma história manchada por tanta indiferença, discriminação e opressão; o grito dos pobres sem chance de melhorar de vida, dos negros escravizados e discriminados; dos povos indíginas explorados e massacrados; dos retirantes sem ter onde ficar; dos sem terra para plantar; dos sem tetos para morar; das mulheres exploradas e confinadas nas prisões domésticas; das crianças que não suportando os falsos lares encontravam nas ruas o “abrigo”, dos jovens sem chances e esquecidos, sem emprego, acesso ao lazer e obrigados a freqüentar escolas pouco qualificadas. Gritos de tantos, mulheres e homens, que o sofrimento não deixava mais sorrir.

E o segredo que queremos revelar é que aprendemos. Tentaram nos impedir, mas a vida não parou e aprendemos. Aprendemos que podem abafar nossos gritos, mas não podem nos calar. Aprendemos que mais gente gritava e não era ouvida, por isso chamamos todos para unirem-se em torno da mesma luta: evidenciar nossos gritos. Mas, para isso, não vamos mais gritar, aprendemos que existe algo mais eficiente do que os gritos que podem ser silenciados. Vamos sussurrar como os assovios dos ventos nas frestas, como os segredos ditos aos ouvidos. E o segredo é esse: sussurre que não desaparecemos, que estamos vivos, que vamos continuar lutando, mesmo quando o mundo achar que não somos nada, pois, somos jovens e estamos construindo um mundo novo. Não esqueça o segredo: não grite, sussurre. Os sussurros voam como os ventos, e esses ventos levarão a esperança jovem que contagiará o mundo.
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...